Eleitas Novas Relatorias da ONU

Eleitas Novas Relatorias da ONU

Durante a 43ª sessão (suspensa) do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, foram nomeadas pessoas para 11 procedimentos especiais.

–  Mecanismo de Experts sobre o Direito do Desenvolvimento (Novo):

  • Bonny IBHAWOH (Nigéria) – representante da região África;
  • Mihir KANADE (Índia) – representante da região Ásia e Pacífico;
  • Klentiana MAHMUTAJ (Albânia) – representante da Europa do Leste;
  • Armando Antonio DE NEGRI FILHO (Brasil) – representante da América Latina e Caribe;
  • Koen DE FEYTER (Bélgica) – representante da Europa Ocidental e outros Estados.

Mecanismo de Expertos sobre os Direitos dos Povos Indígenas:

  • Laila Susanne VARS (Noruega), representante da região do Ártico;
  • Binota Moy DHAMAI (Bangladesh), representante da região Ásia.

– Expert Independente sobre Dívida Externa, a Sra. Yuefen LI (China);

– Expert Independente sobre Pessoas Idosas, a Sra. Claudia MAHLER (Áustria);

– Expert Independente sobre a Situação dos Direitos Humanos na Somália, a Sr. Isha DYFAN (Serra Leoa);

– Relatoria Especial sobre Moradia Adequada, o Sr. Balakrishnan RAJAGOPAL (Estados Unidos);

– Relatoria Especial sobre Formas Contemporâneas de Escravidão, o Sr. Tomoya OBOKATA (Japão);

– Relatoria Especial sobre Pobreza Extrema, o Sr. Olivier DE SCHUTTER (Bélgica).

– Relatoria Especial sobre Medidas Coercitivas Unilaterais, a Sra. Alena DOUHAN (Belarus).

– Relatoria Especial sobre o Direito à Alimentação, o Sr. Michael FAKHRI (Líbano).

– Relatoria Especial sobre os Direitos dos Povos Indígenas, o Sr. José Francisco CALÍ TZAY (Guatemala).

– Relatoria Especial sobre a Exploração Sexual de Crianças, a Sra. Mama Fatima SINGHATEH (Gâmbia),

– Relatoria Especial sobre Defensorxs de Direitos Humanos, a Sra. Mary LAWLOR (Irlanda).

– Relatoria Especial sobre a Situação dos Direitos Humanos no Miamar, o Sr. Thomas H. ANDREWS (Estados Unidos).

* As opiniões emitidas neste blog são de exclusiva responsabilidade dos autores dos posts, e não representam necessariamente o entendimento do Instituto Brasileiro de Direitos Humanos ou de seus dirigentes.